Angolanos e cabo-verdianos participam em festival solidário no Centro de Portugal

O Festival Mais Solidário, que acontece anualmente em Castelo Branco, pretende atingir 30 mil espetadores durante os três dias do evento: de 02 a 04 de agosto, na Zona de Lazer de Castelo Branco, um evento organizado pela Associação de Apoio Quatro Corações.

Na primeira noite, 1 de agosto, a organização levará ao palco LON3R, Wet Bed Gang e Cromos da Noite; no dia 2 de agosto será a vez de Bispo, Carolina Deslandes e Karetus; e no dia 3 de agosto a animação será da responsabilidade de Van Zee, Fernando Daniel e Rich & Mendes (RFM).

A apresentação oficial do Festival Mais Solidário, um dos maiores da região centro de Portugal, aconteceu no passado dia 24 de maio, no Shopping Allegro, em Castelo Branco, região centro do país.

O anúncio do evento contou com a presença de autoridades de destaque, incluindo o Diretor Geral da TVI, José Eduardo Moniz, o autarca de Castelo Branco, Leopoldo Rodrigues, e a vice-presidente do Turismo do Centro de Portugal, Anabela Freitas.

O Festival, conhecido pela sua vertente solidária, oferece uma vasta gama de atrações e entretenimento. Com demonstrações, atividades e momentos de diversão, um dos objetivos principais do evento é “fomentar a adoção responsável de animais”. Além das atividades centradas nos animais de estimação, o Festival Mais Solidário oferece uma programação musical com concertos de renomados artistas nacionais e internacionais.

O público também desfruta de diversas outras atividades, como espetáculos musicais no palco secundário, espaços ao ar livre, áreas dedicadas às crianças, exposições de artesanato e uma variedade gastronómica para todos os gostos.

De acordo com Hélder Martins, presidente da Associação Quatro Corações, o festival tem como objetivo atingir os 30 mil espetadores, depois de na primeira edição, em 2022, ter alcançado 25 mil, e na segunda, no ano passado, os 28 mil.

“O público pode esperar muita animação e, o mais importante, senão a missão deste festival que é ajudar quem precisa. Este é o único festival no país que é organizado por uma IPSS, a Quatro Corações. Os lucros do festival vão ser utilizados exclusivamente para fazer refeições quentes”, garantiu Hélder Martins, que afirmou que, em dois anos e meio, foram servidas mais de 650 mil refeições quentes.

O evento costuma receber muitos visitantes locais, mas também de outras regiões do país, turistas e emigrantes, que escolhem essa época do ano para voltarem às suas terras.

“Fomos eleitos pelo Turismo de Portugal como “Portugal Events”, o que quer dizer que essa entidade entende o nosso trabalho social e de atração de público”, disse o responsável pelo evento.

Segundo Anabela Freitas, o certame tem demonstrado capacidade de atrair visitantes para o território, razão pela qual é apoiado pela entidade.

Já Leopoldo Rodriguês destacou o trabalho da Associação e mostrou empenho em auxiliar a que este festival tenha bons resultados sociais e que possa promover também o concelho e a sua região.

No âmbito da sua programação, diversas associações locais irão participar. Dois exemplos são a Associação de Angolanos em Castelo Branco (AACB) e a Associação Mais Lusofonia.

No caso da AACB, que foi apresentada ao público albicastrense em outubro de 2023 e visa “auxiliar os angolanos que residem na região Centro de Portugal em vários segmentos”, o que está previsto é a divulgação da componente gastronómica.

“Para nós este evento é uma grande oportunidade de divulgarmos a nossa cultura. Angola é um país com muita cultura e esta é uma mameira de mostrar ao povo português a nossa gastronomia, música e dança, através de um grupo trajado à moda africana que vai se apresentar durante o evento”, disse Margarett Neves, presidente da Associação de Angolanos em Castelo Branco.

Por sua vez, a Associação Mais Lusofonia, que tem apostado em missões humanitárias em Cabo Verde, através da ação de voluntários luso-brasileiros, vai participar através da apresentação da Companhia de Dança Sofia Lourenço, que auxilia na promoção de uma melhor qualidade de vida para jovens e adultos em Castelo Branco por meio da música.

“Sendo este um Festival Solidário, vamos levar um pouco de nós ao evento. O objetivo será, além de promover as ações da Mais Lusofonia, ajudar nessa causa tão nobre”, finalizou Sofia Lourenço, presidente da Mais Lusofonia, entidade que vai levar um espetáculo musical à ilha Brava, Cabo Verde, em julho, com a participação de bailarinos bravenses.

Ígor Lopes – Correspondente

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Oito funcionários do Departamento da Migração de Lilongue e mais dois civis foram, esta quinta-feira (11), detidos por suspeita de…
Portugal: Aposta na inovação no setor agroindustrial marcou celebração de 15 anos da InovCluster em Castelo Branco

Portugal: Aposta na inovação no setor agroindustrial marcou celebração de 15 anos da InovCluster em Castelo Branco

A InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, uma das mais destacadas instituições no setor, localizada em Castelo Branco,…
Guiné-Bissau: Nabiam acusa Sissoco de pretender eliminar líderes políticos guineenses

Guiné-Bissau: Nabiam acusa Sissoco de pretender eliminar líderes políticos guineenses

O antigo Primeiro-ministro e líder da APU-PDGB, Nuno Gomes Nabiam, acusou, esta quinta-feira, 11 de Julho, o Presidente da República…
Moçambique: Actividade Económica continuou fechada na vila de Macomia enquanto FADM justifica a razão da morte de um comerciante local 

Moçambique: Actividade Económica continuou fechada na vila de Macomia enquanto FADM justifica a razão da morte de um comerciante local 

Na terça-feira (9) a vila de Macomia, centro de Cabo Delgado, ficou agitada na sequência de uma manifestação da população…