Rock In Rio Lisboa celebrou 20 anos em Portugal com “bandeira luso-brasileira”

A edição especial de 20 anos do Rock in Rio Lisboa entrou para a história, segundo os seus organizadores. Dos quatro dias de evento, três estiveram esgotados. Mais de 300 mil pessoas estiveram no Parque Tejo, novo local do evento, que decorreu nos dias 15, 16, 22 e 23 de junho. Ao todo, 14500 pessoas estiveram credenciadas para trabalharem no certame, neste festival que leva na sua história a bandeira do Brasil e diversas presenças em Portugal.

Os cinco palcos da nova Cidade do Rock ofereceram 48 horas de música e entretenimento para todos os gostos, idades e nacionalidades, com público oriundo de mais de 106 países, com principais mercados de Espanha, Reino Unido, França, Suíça, Alemanha e Brasil. Para além do público, também a imprensa internacional está presente no Rock in Rio Lisboa, com meios de países como Espanha, Reino Unido, Alemanha, Brasil e Itália.

Ao fundo do Palco Mundo, o principal do evento, no qual grandes nomes da música internacional se apresentaram, estava a imponente Ponte Vasco da Gama, considerada uma das mais belas da Europa. A tradicional roda gigante do evento também adornou o recinto.

Durante conferência de imprensa, no último dia 23 de junho, foi anunciado que o Rock in Rio Lisboa regressa em 2026 e muda definitivamente para o Parque Tejo. Em anos anteriores, o evento estava alocado no Parque da Bela Vista, zona mais central da capital portuguesa. O anúncio foi feito pela vice-presidente executiva do Rock In Rio Lisboa, Roberta Medina, e Carlos Moedas, presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

A nova Cidade do Rock construída no Parque Tejo foi aprovada pelo público, que logo depois do primeiro fim de semana considerou melhor a mudança do festival para o novo recinto. 70% dos participantes do estudo de recinto realizado pela Multidados consideraram melhor a mudança para o Parque Tejo, num universo de 1200 participantes, com uma margem de erro de 3,99% e grau de confiança de 95%.

Para além do público que inaugurou a nova Cidade do Rock, muitas equipas trabalharam para que tudo corresse da melhor maneira na edição de 20 anos do Rock in Rio Lisboa: mais de 350 empresas e 14500 credenciados contribuíram para esta edição histórica, que com cinco palcos proporcionou 48 horas de música e entretenimento par todos os gostos e idades.

Números mostram resultados

Na edição dos 20 anos do festival foram produzidos 500 mil copos reutilizáveis, com os quais se evitou a produção de dez toneladas de resíduos. Com a operação de Mobilidade, resultante do esforço coletivo do Rock in Rio com a Via Verde e mais dez parceiros de mobilidade – CARRIS, CP, Metro, Fertagus, Rede Expressos, FlixBus, Gipsyy, TTSL – Transtejo Soflusa -, Carris Metropolitana e Telpark – foi assegurada uma redução de 30% da pegada carbónica associada à deslocação do público para um evento desta dimensão. A operação de shuttles Carris assegurou o transporte de ida e volta de uma média de 30 mil pessoas por dia da Gare do Oriente para o Parque Tejo. A utilização de geradores mais eficientes permitiu uma redução de 80% de emissões no consumo de gasóleo e uma redução de 15% de gasóleo nos geradores, mesmo com 30.000m2 a mais na Cidade do Rock, em relação à Bela Vista.

Presença do público

Nos dias 15 e 16 de junho, o Rock in Rio Lisboa teve lotação esgotada, com 160 mil pessoas, mas muitas mais foram impactadas pelo festival através de vários canais: Mais de 4,7 milhões de pessoas em TV; Mais de 4 milhões de pessoas em rádio; Mais de 18 milhões de impressões nos conteúdos multiplataforma – trending topic nas redes sociais; Mais de 2000 notícias; Mais de 30 mil horas de visualizações de live streaming.

Impacto no Brasil

Mais de R$ 50 milhões, cerca de 10 milhões de euros, calculados em media espontânea e paga. Houve 3177 notícias produzidas sobre o Rock in Rio Lisboa.

A 10ª edição do Rock in Rio Lisboa contou com três dos quatro dias esgotados, que reuniram 80 mil pessoas no primeiro dia, 80 mil no segundo dia, 60 mil no terceiro dia e 80 mil no quarto e último dia de evento, vindas de 106 países.

Diversas marcas brasileiras, como a Embelleze Portugal e a Granado, aproveitaram o evento e a presença de influencers para divulgarem as suas presenças e produtos em Portugal.

Patrocínios e negócios

Os patrocinadores desempenharam também um papel crucial no sucesso da 10ª edição do Rock in Rio Lisboa. Diariamente, foram distribuídos 35 mil chapéus da Galp, patrocinadora oficial do festival, um brinde que é já um ícone entre os festivaleiros. Além disso, o épico Slide Pepsi, uma das atrações mais emocionantes, contou com 2817 visitantes, que percorreram um voo de 157 metros sob a clareira do Palco Mundo. Já na experiência da Roda Gigante Pisca Pisca participaram 29.960 pessoas ao longo dos quatro dias de evento.

No que toca à restauração, foram vendidos durante o festival 112 mil litros de cerveja Super Bock, 29 mil litros de Somersby, 18 mil pizzas e 20 mil hambúrgueres. Com um foco na sustentabilidade, os mais de 100 bebedouros espalhados pelo recinto evitaram o consumo de 78 mil garrafas de água, sendo que as garrafas que foram vendidas já eram de plástico 100% reciclado.

Na edição dos 20 anos do festival foram produzidos 500 mil copos reutilizáveis, com os quais se evitou a produção de 10 toneladas de resíduos. E a utilização de geradores mais eficientes, permitiu uma redução de 80% de emissões no consumo de gasóleo e uma redução de 15% de gasóleo nos geradores, mesmo com 30.000m2 a mais na Cidade do Rock, em relação à Bela Vista.

O Rock in Rio Lisboa 2024 contou com um line-up de peso, que incluiu grandes nomes nacionais e internacionais como os Xutos & Pontapés com a Orquestra Filarmónica Portuguesa, Scorpions, Evanescence, Ed Sheeran, Calum Scott, Ivete Sangalo, Jonas Brothers, Doja Cat, Ne-Yo, entre muitos outros.

O Dj brasileiro Pedro Sampaio afirmou que: “Vocês fizeram-me a pessoa mais feliz do mundo ontem!”

“A 10ª edição do Rock in Rio Lisboa foi verdadeiramente especial! O novo recinto no Parque Tejo Lisboa permitiu-nos oferecer uma experiência ainda mais incrível a todos os nossos visitantes, e ganhou tamanha dimensão e repercussão internacional que fizeram do festival um dos melhores eventos da Europa. Ver a Cidade do Rock cheia de alegria e energia durante quatro dias foi mesmo muito emocionante. Agradecemos a todos os que participaram e contribuíram para o sucesso deste evento histórico! Já estamos a planear a próxima edição, com a promessa de continuar a surpreender e encantar o público”, afirmou Roberta Medina, Vice-Presidente Executiva do Rock in Rio.

Em 2026, o Rock in Rio Lisboa regressa ao Parque Tejo para mais uma imperdível edição, que se espera ser ainda mais especial.

Recorde-se que o Rock in Rio é a marca internacional responsável pelo maior evento de música e entretenimento do mundo. Criado em 1985 no Rio de Janeiro, é parte relevante da história da música mundial. O evento soma já 22 edições, 130 dias e mais de 3.816 atrações musicais. Ao longo destes anos, mais de 11,2 milhões de pessoas passaram pelas Cidades do Rock em Portugal, no Brasil, em Espanha e nos Estados Unidos.

Em Portugal, foram realizadas, até hoje, nove edições e dos 44 dias de festival já passaram pela Cidade do Rock de Lisboa mais de 3 milhões de pessoas e mais de 1.100 atrações musicais. O festival investiu mais de 225 milhões de euros, gerou mais de 87 mil empregos (diretos e indiretos), alocou cerca de 5,6 milhões de euros para causas socioambientais e promoveu inúmeras ações, entre as quais a instalação de painéis fotovoltaicos em escolas, projeto de reflorestação de floresta ardida, equipar hospitais e IPSS, construção de salas sensoriais para jovens, entre0 outros.

Em 2024, o festival esteve de volta nos dias 15, 16, 22 e 23 de junho para uma edição especial que comemorou os 20 anos do Rock in Rio Lisboa, com grandes novidades entre as quais uma nova localização – no Parque Tejo Lisboa. A nova Cidade do Rock contou com um novo palco, uma nova Rota 85 e um novo espaço celebrou 20 anos de “Por Um Mundo Melhor”, além dos já conhecidos Palco Mundo, Palco Galp, Rock Street, Super Bock Digital Stage, Chef’s Garden, ESC Online Sports Bar, Roda gigante Pisca Pisca, Slide Pepsi, Área VIP Gato Preto, entre outros.

Apesar de diversas reclamações do público durante o primeiro fim de semana do evento, a organização apresentou soluções para combater a demora na saída do público do recinto, a presença de poeira e a longa espera nas filas para comprar alimentos ou ir à casa de banho.

A nossa reportagem acompanhou todos os quatro dias de evento com uma equipa de profissionais credenciada. Em todas as dez edições do Rock In Rio Lisboa estivemos presentes levando todas as informações sobre este grande evento no eixo Brasil-Portugal / União Europeia e Mercosul.

Ígor Lopes

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Oito funcionários do Departamento da Migração de Lilongue e mais dois civis foram, esta quinta-feira (11), detidos por suspeita de…
Portugal: Aposta na inovação no setor agroindustrial marcou celebração de 15 anos da InovCluster em Castelo Branco

Portugal: Aposta na inovação no setor agroindustrial marcou celebração de 15 anos da InovCluster em Castelo Branco

A InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, uma das mais destacadas instituições no setor, localizada em Castelo Branco,…
Guiné-Bissau: Nabiam acusa Sissoco de pretender eliminar líderes políticos guineenses

Guiné-Bissau: Nabiam acusa Sissoco de pretender eliminar líderes políticos guineenses

O antigo Primeiro-ministro e líder da APU-PDGB, Nuno Gomes Nabiam, acusou, esta quinta-feira, 11 de Julho, o Presidente da República…
Moçambique: Actividade Económica continuou fechada na vila de Macomia enquanto FADM justifica a razão da morte de um comerciante local 

Moçambique: Actividade Económica continuou fechada na vila de Macomia enquanto FADM justifica a razão da morte de um comerciante local 

Na terça-feira (9) a vila de Macomia, centro de Cabo Delgado, ficou agitada na sequência de uma manifestação da população…