Brasil: Central de Inteligência, Vigilância e Tecnologia é a nova aposta da Prefeitura do Rio de Janeiro no combate à criminalidade

“Apoiar, com informações, as forças de segurança estaduais e os órgãos municipais”. É este o objetivo da Central de Inteligência, Vigilância e Tecnologia de Apoio à Segurança Pública (CIVITAS) apresentada pela Prefeitura do Rio nos últimos dias.

Um projeto que terá também a parceria do Disque Denúncia, um serviço público que disponibiliza um canal de denúncias baseado no anonimato, que tem ajudado no combate à criminalidade no Rio de Janeiro, auxiliando a polícia local e os investigadores e encontraram ladrões foragidos.

Segundo apurámos, este investimento municipal vai permitir que o Disque Denúncia volte a funcionar 24 horas todos os dias no atendimento aos cidadãos.

Informações das autoridades cariocas destacam que a CIVITAS funcionará dentro do Centro de Operações Rio (COR). O Disque Denúncia voltará a funcionar todos os dias, 24 horas, e participará diretamente na operação, fornecendo os dados dos atendimentos aos cidadãos.

O lançamento dessa nova iniciativa aconteceu nas instalações do COR, com a participação do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, do secretário municipal da Casa Civil, Eduardo Cavaliere, do secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevale, do chefe executivo do COR, Marcus Belchior, e do diretor-geral do Disque Denúncia, Renato Almeida, além do chefe executivo da CIVITAS, Davi Carreiro.

“Nós entendemos que o papel da prefeitura, com a Central CIVITAS, é de auxílio ao Governo do Estado, às forças policiais e à polícia judiciária. É uma forma de integrar ainda mais as ações da Prefeitura do Rio naquilo que nós podemos ajudar no campo da segurança pública. Outra medida importante é que a prefeitura passa a financiar o Disque Denúncia, para que volte a funcionar 24h. O big brother está aí, vamos todos ser filmados para o bem e para o mal”, afirmou o prefeito Eduardo Paes.

A CIVITAS é um “projeto tecnológico de monitorização, para fazer um cerco inteligente, em apoio à segurança pública da cidade, aproveitando toda a experiência e conhecimento técnico do Centro de Operações Rio (COR) e a tradição e credibilidade do Disque Denúncia, um sistema de atendimento com quase 30 anos de existência, que é uma referência para o cidadão fluminense e que participará como uma rede de vigilância comunitária”.

O sistema da CIVITAS passa a usar imagens de câmaras do COR, da CET-Rio, que monitoriza as ruas da cidade, e, futuramente, de empresas de segurança. São utilizados para a monitorização de veículos 900 radares e 50 câmaras com leitura de matrículas, que serão capazes de descobrir carros clonados na cidade.

“É um anúncio muito importante para a cidade do Rio de Janeiro. Com a retomada do Disque Denúncia 24h. Estamos dando o direito para milhares de vítimas que querem denunciar, mas que tinham dificuldade para fazer isso, desde 2016, pela falta da operação 24h do sistema. Junto com a parceria com Central Civitas, esse projeto mostra um norte de planeamento, consolidando as ações que a prefeitura já vinha executando na área de apoio à segurança pública, como a demolição das construções irregulares da milícia e o BRT Seguro (linha especial de autocarros)”, destacou o secretário municipal da Casa Civil, Eduardo Cavaliere.

Neste novo sistema de monitorização, a CIVITAS faz a análise e a estratégia de todas as informações recebidas pelo Disque Denúncia e pelos equipamentos de monitorização do município.

“O cerco inteligente é a Prefeitura colocando à disposição, em apoio ao trabalho da segurança pública, todo o aparato de câmaras, que a gente já monitoriza a cidade, mas que até hoje era utilizada apenas com a finalidade de trânsito. São 900 radares à disposição, mais 50 câmaras que ainda serão instaladas. Com isso, a gente vai conseguir identificar veículos roubados ou clonados. Quando o veículo passa num determinado ponto da cidade e, dez minutos depois, essa mesma placa é identificada em outro ponto muito distante, que não daria para fazer esse trajeto a tempo, automaticamente sobe um alerta para a gente com a identificação de clonagem de matrícula”, explicou o chefe executivo da Central Civitas, Davi Carreiro.

“Após oito anos funcionando em jornada reduzida, a iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro permitirá o retorno dessa importante ferramenta (Disque Denúncia) ao seu pleno funcionamento. Ganha a população carioca que volta a contar com o melhor canal de comunicação com os órgãos de segurança pública”, disse o diretor-geral do Disque Denúncia, Renato Almeida.

A monitorização 24 horas começa nesta quarta-feira, dia 5 de junho, a partir das 8h locais, 12h em Lisboa. Os cidadãos que precisarem denunciar suspeitos, casos de vandalismo, violência doméstica e outros crimes podem ligar ou enviar mensagens para os canais tradicionais de atendimento do Disque Denúncia.

Ígor Lopes – Correspondente

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *




Artigos relacionados

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Maláui: Brigada Anticorrupção manda prender oito funcionários da Migração por suspeita de corrupção 

Oito funcionários do Departamento da Migração de Lilongue e mais dois civis foram, esta quinta-feira (11), detidos por suspeita de…
Portugal: Aposta na inovação no setor agroindustrial marcou celebração de 15 anos da InovCluster em Castelo Branco

Portugal: Aposta na inovação no setor agroindustrial marcou celebração de 15 anos da InovCluster em Castelo Branco

A InovCluster – Associação do Cluster Agroindustrial do Centro, uma das mais destacadas instituições no setor, localizada em Castelo Branco,…
Guiné-Bissau: Nabiam acusa Sissoco de pretender eliminar líderes políticos guineenses

Guiné-Bissau: Nabiam acusa Sissoco de pretender eliminar líderes políticos guineenses

O antigo Primeiro-ministro e líder da APU-PDGB, Nuno Gomes Nabiam, acusou, esta quinta-feira, 11 de Julho, o Presidente da República…
Moçambique: Actividade Económica continuou fechada na vila de Macomia enquanto FADM justifica a razão da morte de um comerciante local 

Moçambique: Actividade Económica continuou fechada na vila de Macomia enquanto FADM justifica a razão da morte de um comerciante local 

Na terça-feira (9) a vila de Macomia, centro de Cabo Delgado, ficou agitada na sequência de uma manifestação da população…